20.01.2018

Hospitalidade sem limites apesar da adversidade

O Líbano é um dos menores países do mundo localizado no Oriente Médio. Apesar de seu pequeno tamanho e alta densidade populacional, recebe cerca de 1,5 milhão de refugiados sírios, o que faz com que seja o país com o maior número de refugiados de acordo com sua população. Um em cada quatro habitantes é um refugiado.

Facebook twitter

No ProFuturo chegamos lá pelas mãos de Entreculturas e JRS (Serviço Jesuíta a Refugiados). Nosso objetivo é contribuir, através das ferramentas oferecidas pela ProFuturo, para melhorar a educação de crianças em situação de refúgio. Em agosto de 2016, a Human Rights Watch contabilizou 1.0033.513 deslocados pela guerra na Síria, muitos deles no Vale do Bekaa.

Lá, no início de 2017, María Lacadena compareceu com sua parceira Isabel Pérez Porras, membros da equipe de Operações e Treinamento da ProFuturo, respectivamente. O motivo de sua viagem foi apresentar a ProFuturo e saber em primeira pessoa como os refugiados sírios vivem no país para entender melhor as dificuldades do contexto para o qual queremos levar o projeto. Maria conta como chegou ao local onde o sofrimento de deixar para trás a casa e os entes queridos eram o tom geral, e apesar de toda a adversidade, o que ela encontrou foi generosidade e hospitalidade sem limites.

Esta é sua mensagem:

 

“Em nossa visita ao Vale do Bekaa, visitamos o assentamento de Telyani, onde vivem cerca de 90 famílias sírias. Recebe este nome porque é o nome do dono das terras que os emprestou para acolher tantos refugiados que fogem da barbárie da guerra.

Na escola de educação formal de Telyani, tivemos a oportunidade de conhecer Amina, uma refugiada síria no Líbano por vários anos. Amina era dona de uma creche em Aleppo que foi bombardeada, então ela teve que fugir com sua família. Agora ela é diretora desta escola, onde 570 crianças estudam, um grande exemplo de coragem e superação.

Uma das experiências que me marcou foi testemunhar a incrível hospitalidade de muitos desconhecidos. Uma família nos convidou para sua loja, onde 17 pessoas moravam. Eles fugiram de Homs e estiveram no assentamento por quase três anos. Apesar do pouco que tinham, eles não hesitaram em fazer com que nos sentíssemos em casa. Eles nos apresentaram sua família e nos convidaram para tomar chá.

Esses dias no Líbano me fazem estar mais consciente dos milhões de pessoas no mundo que estão hoje em situações de vulnerabilidade e precisam ser ajudadas, ouvidas, amadas. Hoje sinto mais que nunca que a educação é fundamental e uma ferramenta necessária para acreditar e olhar para o futuro. A ProFuturo pode contribuir para melhorar a educação dessas crianças e, portanto, suas oportunidades para o futuro”

 

ProFuturo no Líbano:

Com a ajuda de Entreculturas e do Serviço Jesuíta de Refugiados (JRS), a ProFuturo está presente em um centro de apoio escolar que beneficia cerca de 150 crianças refugiadas. Essas crianças conseguiram se matricular em escolas públicas, mas precisam de apoio devido à mudança do currículo e do idioma, entre outros.