06.02.2018

O segredo do sucesso

No ano passado, Tomas Mensi, membro da equipe de operações, foi à Etiópia para visitar escolas com o objetivo de introduzir a educação digital integral da ProFuturo.

Facebook twitter

A Etiópia, antiga Abissínia, berço do mítico Nilo Azul e localizada no chamado Chifre da África, é um dos maiores países por extensão que não tem saída para o mar. Entre suas muitas peculiaridades, está o uso do antigo calendário juliano, ao contrário do gregoriano que usamos no resto do mundo ocidental.

No ano passado, Tomas Mensi, membro da equipe de operações do ProFuturo, foi à Etiópia para visitar escolas com o objetivo de introduzir a educação digital integral do ProFuturo. Embora 81% de seus 99 milhões de habitantes sobrevivam com menos de US$ 2 por dia, a Etiópia contém histórias autênticas de sucesso educacional, já que é um país onde há mais de uma década a escolarização de crianças de 7 a 16 anos é obrigatória.

Vamos ver o que Tomas descobriu:

É comum encontrar provérbios e frases inspiradoras nas redes sociais que sugerem qual é o caminho para o sucesso.  Sempre achei que definir sucesso já é muito difícil por si só, deve ser ainda mais difícil encontrar a receita mágica para alcançá-lo.

Porém, nessas duas semanas que estou visitando escolas e conhecendo esse país maravilhoso, acho que encontrei sucesso, em um lugar onde dificilmente se iria procurar!

A escola Beati Akor está localizada na região de Tigray, no norte da Etiópia, a poucos quilômetros da fronteira com a Eritreia.  Da capital da região, a cidade de Mekele, você tem que dirigir por uma hora e meia em estradas e caminhos de terra. Eles nos dizem que às vezes chegar a esta escola pode ser muito complicado, porque, embora agora a paisagem se destaque por ser muito deserta, com as primeiras chuvas da estação a estrada pode ser impraticável.

Quando chegamos, encontramos uma ótima escola. Tudo fica em silêncio porque as salas de aula estão preparadas para os exames de final de ano que são no mês de junho. Cada mesa tem um número marcado com um giz que identifica os alunos que no dia seguinte enfrentarão, talvez, o primeiro exame de sua vida. Há uma sala de aula que está fechada com papéis assinados pelo diretor para garantir a segurança dos exames.

Somos recebidos por um diretor muito jovem e tímido, mas que, no entanto, e ao contrário de muitos de seus colegas, se destaca por sua confiança em falar conosco em inglês.

Começamos a falar sobre o contexto socioeconômico da comunidade que hospeda a escola: Os pais das crianças desta escola são pessoas humildes que ganham a vida trabalhando duro na pecuária, pastoreio e, principalmente, agricultura. Nesta escola há crianças que sofrem de desnutrição.  Por tudo isso pensamos que encontraríamos uma escola rural que luta diariamente contra o abandono escolar e luta para oferecer a seus alunos a mesma qualidade educacional que pode ser encontrada nas áreas com mais acesso, nas grandes cidades.

Depois de algumas perguntas, começamos a perceber que estamos diante de uma imagem completamente diferente. Sem se gabar de seus sucessos, o diretor nos conta que sua escola completou os cinco módulos de excelência definidos pelo Ministério da Educação e que é um dos centros mais reconhecidos do país.  Os especialistas viajam até ela para estudar e entender o segredo dos bons resultados dessa remota escola rural de Tigray.

Quando perguntamos ao diretor se os professores têm que viajar muito para dar as aulas, ficamos surpresos ao descobrir que todos os professores moram na aldeia. Ficamos ainda mais surpresos ao saber que a grande maioria desses professores, que graças ao seu trabalho possibilitaram que esta escola seja uma escola modelo, estudou neste mesmo centro.

Eles também nos dizem que uma garota viajou no ano anterior para Addis Abeba para demonstrar excelência em sua capacidade de leitura. A biblioteca da escola, uma pequena prateleira, está vazia. Todos os livros foram levados para casa pelas crianças. Como vocês podem imaginar, nesta escola o abandono escolar é zero. Agora, se eu pudesse descrever o que é sucesso!

ProFuturo na Etiópia:

Graças à colaboração com associações e ONGs locais, planejamos implementar o projeto no início de 2018.

Estamos convencidos de que o projeto responde à necessidade de reduzir a desigualdade digital e pode ser de grande ajuda para as crianças etíopes. As escolas que se beneficiarão do projeto estão localizadas na região de Tigray e nas cidades de Dire Dawa, Harar e Jijiga.