06.03.2018

A educação como ferramenta para a paz

O Líbano é um dos menores países do mundo, localizado no Oriente Médio, que abriga cerca de 1,5 milhão de refugiados sírios. Um exemplo de generosidade para o mundo inteiro já que um em cada quatro habitantes é um refugiado, o que o torna o país com mais refugiados em função da sua população.

Facebook twitter

José Manuel Carrillo Extremera pertence à área de Treinamento e Suporte da ProFuturo e foi para o Líbano em julho de 2017 para treinar professores em Bourj Hammoud. Este é seu post:

É sabido que a guerra envolve sangue, lágrimas e destruição, separação e desolação. Somos testemunhas diárias de cidades devastadas, de crianças chorando que não entendem o que está acontecendo ao seu redor, feridas sangrando misturadas com a poeira de edifícios destruídos por bombas que caem aleatoriamente. Mas da confortável sala de estar de casa não temos consciência do que uma guerra implica, sempre tão distante no tempo e no espaço.

No Líbano, tive a oportunidade, a imensa sorte, de conhecer a coordenadora do projeto ProFuturo, Gassia Tenekejian. Originalmente de Aleppo, uma cidade devastada pela barbárie na Síria, ela sabe bem o que implica deixar seu próprio país para salvar sua pele. As histórias de tragédia que ela queria compartilhar conosco eram muitas e muito difíceis, mas sem dúvida a mais confissão difícil foi o assassinato do filho de uma de suas melhores amigas enquanto estava na creche. Mesmo que nos coloquemos no lugar daquela amiga e pensemos em nossos filhos ou sobrinhos, nunca sentiremos a dor daquela mãe.

Gassia é uma defensora convicta da educação das crianças como uma ferramenta fundamental para lutar pela paz, como a origem de um futuro brilhante para as crianças, distanciando o fanatismo e promovendo a coexistência entre culturas e religiões. Nosso projeto foi muito bem recebido por todos, professores e responsáveis, e é uma oportunidade de melhoria para tantas crianças refugiadas que tiveram que deixar seu país em busca de sobrevivência.

Acreditamos que a educação das futuras gerações será a chave para o desenvolvimento de um mundo em paz, favorecendo o intercâmbio cultural, que é sempre tão enriquecedor. Gassia é cúmplice de nossa missão e trabalhará duro para contribuir com seu pequeno grão de areia para nosso grande projeto”.

Avanços do ProFuturo no Líbano:

Desde que César Alierta, presidente da Fundação Telefónica e patrono da Fundação Bancária “la Caixa”; Sofía Fernández de Mesa, diretora da Fundação ProFuturo; Àngel Font, diretor de Estratégia e Pessoas da Fundação Bancária “la Caixa”; e José María Sanz-Magallón, diretor geral da Fundação Telefónica, visitaram o Líbano em 27 de março de 2017 para promover o acesso à educação digital da ProFuturo para refugiados sírios e para crianças libanesas os avanços estão começando a dar frutos.

Com a ajuda de Entreculturas e do Serviço Jesuíta de Refugiados (JRS), agora há 150 crianças refugiadas que são beneficiadas pela educação digital integral da ProFuturo em um centro de apoio escolar, dado que essas crianças, embora tenham conseguido se matricular em escolas públicas, precisam de apoio devido à mudança do currículo e do idioma, entre outros.