13.03.2018

O livro mágico das Filipinas

Facebook twitter

“Querida Fundação ProFuturo,

Muito obrigado por compartilhar seu amor, carinho e bênçãos com a Escola Primária de Bucana.  Os tablets são uma grande ajuda para os estudantes quando se trata de receber uma educação de qualidade para nós que não podemos lidar com a compra de qualquer tipo de dispositivo (tablet). No entanto, graças ao ProFuturo, aprendemos, exploramos e descobrimos muitas coisas…”.

Assim começa uma das cartas incluídas em um livro muito especial. É um presente feito em forma de pasta com capas de palha pelos alunos da Escola Primária de Bucana, em El Nido, localizada na ilha filipina de Palawan. O livro, adornado com flores, quadros e figuras coloridas imaginativas e alegres de cartolina, é um livro quase mágico, porque está carregado da ilusão e da gratidão das crianças pela educação digital que a ProFuturo lhes oferece em sua escola há dois meses.

Pelo menos foi assim que o Presidente da ProFuturo, César Alierta, o recebeu em 13 de fevereiro, quando visitou duas das 31 escolas onde a educação digital integral nas Filipinas é ensinada com a ajuda da Ayala Foundation.

As Filipinas são sinônimo de campos de arroz cor esmeralda, megalópoles frenéticas, búfalos de água, vulcões, selva, praias e, em suas mais de sete mil ilhas, habita um povo hospitaleiro e muito trabalhador. Os mais de 104 milhões de habitantes desse enclave paradisíaco do Cinturão de Fogo do Pacífico o tornam o décimo segundo país mais populoso do mundo, com alta densidade populacional, mas também um dos países com a renda per capita mais baixa.

Uma vez que suas línguas oficiais são filipino (baseado em tagalo) e inglês, na Escola de Primária de Bucana, as crianças não só têm acesso ao conteúdo das três maletas com 48 tablets cada uma em inglês. Os professores trabalharam rapidamente e incorporaram seu próprio conteúdo em tagalo, o que torna o treinamento recebido pelos 583 alunos da escola mais acessível e próximo.

O início da implementação do ProFuturo nas Filipinas é realizado “sob a convicção de que, ao adotar a revolução digital por meio do uso de novas tecnologias e metodologias educacionais inovadoras nas escolas, o resultado será a promoção de uma educação de qualidade”, nas palavras de César Alierta em Palawan. E, como afirmou o presidente da Fundação Telefónica, “o acesso digital é cada vez mais decisivo para oferecer igualdade de oportunidades às crianças, capacitando-as a se beneficiar do acesso à informação, participação na comunidade e benefício social”.

Estes são apenas os primeiros passos do ProFuturo em colaboração com a Ayala Foundation e World Vision, nosso segundo aliado no arquipélago filipino. No momento, existem 198 professores das 31 escolas que ensinam 10.088 crianças. Alguns primeiros passos que nos deixaram um grande livro, com capas de palha, e a empolgação de saber que em breve, até o final de 2018, nas Filipinas, o número de escolas chegará a cem. E algumas crianças que, graças às habilidades digitais que adquirirão, amanhã contribuirão para o desenvolvimento e a prosperidade em seu país.

Com ajuda da Ayala Foundation

A Ayala Foundation, de propriedade da Ayala Corporation, é uma das fundações empresariais pioneiras das Filipinas, fundada em 1961 por Joseph McMicking e Mercedes Zobel-McMicking. Dedicada à transformação de comunidades em praticamente todas as regiões do país, promove uma ampla rede de alianças públicas, privadas e da sociedade civil por meio da implementação de programas educacionais, liderança juvenil, arte e cultura ou desenvolvimento sustentável, entre outros projetos. A ProFuturo e a Ayala Foundation começaram sua jornada juntos em janeiro de 2017 e foi em agosto do mesmo ano, quando assinaram o acordo de colaboração entre as duas entidades e o Departamento de Educação de Mimaropa.

Além das cem escolas que a ProFuturo planeja alcançar com a Ayala Foundation este ano, o projeto avançará mais 100 junto com a World Vision, seu segundo aliado no país insular.