27.03.2018

É sempre hora de aprender, ensinar e transformar

Manaus, a capital do estado do Amazonas e um dos principais centros financeiros da Região Norte do Brasil, é também a cidade pioneira na realização do projeto da ProFuturo.

Facebook twitter

A capital mais populosa da Amazônia, está localizada no rio Negro, localizado no coração da maior floresta tropical do mundo. De sua vizinhança você pode ver ilhas, arquipélagos e extensas áreas ecológicas, bem como o encontro com as águas do rio Amazonas.

No coração da cidade da maior reserva natural do homem, a rotina diária da professora María Bernardete começa muito cedo. Às seis da manhã, ela está pronta para pegar o ônibus que a leva para a escola na Comunidade de Santa Marta, no bairro de Novo Israel.

María Bernardete está consciente dos grandes contrastes sociais que o seu país tem por causa da dimensão continental e das fortes ondas de imigração produzidas ao longo da história. Consciente do sistema educacional, ela sabe que as desigualdades existentes reduzem as possibilidades de progresso para crianças e jovens de baixa renda, o que significa que apenas 7 de cada 100 estudantes que entram na escola pública continuam na universidade.

Ela mesma superou muitas barreiras e teve que percorrer um longo caminho para se tornar uma professora. De família humilde, Bernadete aprendeu a ler e a escrever com a mãe antes de entrar na escola porque ficava a muitos quilômetros de casa. Anos depois, matriculou-se em um curso técnico em contabilidade, mas onde realmente encontrou sua vocação como educadora, após graduar-se em Pedagogia e Psicopedagogia.

“Meu primeiro aluno foi meu filho, depois apareceram sobrinhas e algumas crianças do bairro. Quando percebi, estava alfabetizando 10 crianças ao mesmo tempo”, lembra.


“Gosto muito dessa profissão porque as pessoas aprendem mais do que o que é ensinado”

 


Aos 50 anos, Bernadete passou no concurso da Secretaria Municipal de Educação de Manaus e hoje leciona na Escola Municipal Arquiteta Angélica Maria Vieira da Cruz para alunos do ensino fundamental, além de atuar como coordenadora do Projeto Mais Educação – que atende cerca de 100 crianças – e dar aulas de reforço para os alunos da mesma escola.

Uma nova oportunidade para inovar

Incansável, aos 53 anos, a educadora ainda encontra tempo para participar na catequese da igreja e estudar inglês. “Cheguei a uma idade em que não tenho mais tempo a perder, por isso aproveito todas as oportunidades para me desenvolver como profissional”, diz ela.

Uma dessas oportunidades foi o curso Espaços Diferenciados promovido pela ProFuturo. Para María Bernadete, o projeto contribui para implementar novas formas de aprendizagem e desenvolver sua motivação como educadora. “Gosto muito dessa profissão porque as pessoas aprendem mais do que o que é ensinado”, diz ela. O treinamento no curso inspirou a professora a inovar e criar atividades fora da sala de aula, em uma área externa da escola que nunca havia sido utilizada. “Participar do projeto me fez sentir jovem novamente, e enquanto tiver condições físicas, vou continuar estudando”, conclui animada.

ProFuturo em Manaus

María Bernardete é uma das 700 professoras que já estão recebendo treinamento em Manaus, a primeira cidade do Brasil onde o ProFuturo foi implementado, em colaboração com a Secretaria Municipal de Educação – SEMED.  Um treinamento que começou em abril de 2017 e no qual participarão 1.475 educadores. Espera-se que mais de 200.000 crianças se beneficiem do projeto no Brasil ao longo de 2018.

Precisamente, em março deste ano, foi realizada a apresentação oficial do projeto em Manaus, com a entrega de equipamentos tecnológicos nas escolas, com o objetivo de melhorar a educação de 30 mil alunos de 140 instituições de ensino.